Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



5 de fev de 2011

Sergey Ignatenko







Corri a esmo pra encontrar o nada,
Enterrando tempo e quimera.
O encontro sutil demora a chegada...
Faz-se ode sofrida espera.

Não sou anjo talhado na alvura:
Tenho asas pra voar de fissura.
Nasci pra ser arrastão...
Não me atrevo a estrangular ilusão.

Não sou ninfa, nem musa:
Sou demônio com tridente de veludo.
Sou mulher, feminina de alma e escudo,
A te arrastar com carícias de deusa.

...Pólen e gineceu, emoção floresceu.
De inveja, o vento encolheu.
Paixão desamarrada se atreveu
Em denso e belo apogeu...

Tesão saltou montanhas e planícies,
Calou a sirene do Apocalipse.
Nossa linguagem sem vértice
Transformou pele em cálice!...

Sei de nós, do amor, do abraço, do ensejo,
Pra continuar a espera, dobrar o desejo,
Entornar areia na esquina do tempo,
Até chegares, enfim, com um beijo.


Stella de Sanctis