Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



5 de fev de 2011

Sergey Ignatenko




Linhas cruzadas



Imprima a paulatina nota cristalina,
Desacelerada a romper-me a tenda.
Solta-me das folhas
Que da pele um sol se apura.
Saiba sangrar do vinho,
Triscar o plano da volúpia.
Devagar a boca à louca
Trançando furacões.
Devagar o imedido,
Pespontos recém-despertos,
As ancas atreladas.
Lento o mais alento,
O mais e mais, o pó desfeito,
As linhas cruzadas.
Despreza o tempo
Neste molhado de intenções.
Aproveita meus caminhos,
Tece um poema em minhas asas.


                                  Stella de Sanctis