Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



6 de dez de 2010

Drew Darcy




SONETO 915 USUAL


Na bolsa ela traz tudo: seu batom,
espelho, pente e coisas acessórias,
além do tal caderno de memórias,
ou seja, seu diário, um livro com

folhas azuis e capa em tom marrom,
ao lado das apostas ilusórias
no bicho, e, pra que o azar inda piore-as,
manchadas de recheio de bombom.

Cartão de telefone, banco, loja.
Dinheiro, documentos, comprimidos,
de que mulher nenhuma se despoja.

No fundo estão papéis meio escondidos,
contendo o que às amigas tanto enoja:
poemas, dos pornôs mais desabridos.


Glauco Mattoso