Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



6 de dez de 2010

Drew Darcy





SONETO 750 DA MULHER-MOSCA



Na fresca da varanda, ela se espicha
pelada e se diz mosca, pois se sente
voraz e açucareira, repelente
apenas a alguns machos que não ficha.

Sem ser "mosca de fruta", a qual da bicha
é mais que boa amiga, quer que vente
bem mansa a brisa e impeça que o sol quente
lhe abrase o corpo como à lagartixa.

Faz parte duma ANINHA, "Associação"
de alcance "Nacional", "de Interessadas"
não mais que "em Namorar", fora o tesão,

os "Homens Adoráveis". São tão dadas
as membras do tal clube, que só vão
ao baile acompanhadas de outras fadas.


Glauco Mattoso