Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



6 de dez de 2009

Joanna Zjawinska




 
UNO



Há de ti
muito em mim.

Células em vísceras minhas,
fluidos escarlates
cheiros e toques
condensados em acto.

Pulsão, pulsações
de ti no meu ser.

Há de mim
muito em ti.

Sangue em teus tecidos
mordidas que te chancelam
o fulgor de minha alma
ardência de pele.

Fricção, batimentos
de mim em teu ser.

Há de nós
muito.

No todo em que nos tornamos
em mesclas
sínteses rubras,
alumbramentos em uníssono,
tremor de uno.

Meu cio
se faz em nós.


Ana Paula Perissé