Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



6 de jul de 2010

Zena Holloway





DONAS DA NOITE


Perdidas na rua...na noite...
noite crua, noite nua,
na nudez das prostitutas
que se esfregam,
se insinuam.
Não se envergonham,
não se enjoam...
[não?]
São damas da noite,
vestem-se de sensualidade,
tremenda e tempestuosamente,
prontas a saciar a fome
de homens com voraz apetite
para o sexo desregrado,
desregradamente consumido.
São donas da noite...
belas e imperfeitas,
na imperfeição da pureza,
perigosamente suja,
cheias de pecado, podridão...
Inconsequentemente inocentes,
sujeitas a pudores e despudores,
se comovem e se derrotam.
História intensa com final...
[feliz?]


Marcia Mattoso