Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



10 de jul de 2010

Diego Dayer




la chair est faible

não faça
coeur douce
mon chou
rogou o galante
não cabe
tamanho talude
mon bijou
suplicou a galante
abre ton décor
assim de viés
mon trésor
insistiu o galante
je meurs de peur
catita a glande
petite ma fleur
replicou a galante
a cuspe de beijos
te rego por tudo
alegro ton trou
sussurrou o galante
então me cobre
soca mon désir
verte o que vir
gritou a galante



Sylvio Back