Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



10 de jul de 2010

Diego Dayer



pomba-gira


membranas de fogo
em fodas insones

herdeiros inermes
de gozos romeiros

corpos e prazeres
reduzidos a haveres

traveste-se o que se foi
do que fora e basta-se

dor rouca perverte pouco
amor se indo linda o vindouro

lágrimas solas escorregando
por dentro das aortas tolas

olhar pra frente asneira mor
detrás a seiva é que consente

M., G., O., sempiternas trigêmeas
Vocalistas deste leão onanista


Sylvio Bach