Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



29 de mai de 2010

Javier Arizabalo



Bailado corporal



O teu corpo é um espaço
imenso de frutos maduros
que sorri de afagos precisos
quando o beijo se sufoca vagarosamente
nesses seios que me aquecem
e as mãos bailam no teu ventre
dançando contigo uma volúpia
de gestos sentidos


Amor precipício imaginado
nesse abrigo tão cheio de prazer
diamante que corta minha boca oferecida
nesse cheiro de amor que tudo perfuma
te penetro tão completamente
como se sempre aí tivesse permanecido



António Sem