Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



17 de jan de 2010

Montserrat Gudiol





Sangue de mênstruo


Paixão se escreve
em folha vermelha
de papel de seda
selada com lacre.



Paixão te escrevo
em língua de fogo
pena de flamingo
flor de gravatá.



Minha tinta é sumo
de morango e amora
suco de cereja.
Mas no fim do escrito
só sangue me assina
sangue de mênstruo
fúria de assassina.



Marina Colasanti