Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



14 de jan de 2010

Clovis Trouille




 " O Sonho "


Eras minha, ou melhor, ias ser minha...
Eu te beijava toda, lentamente,
e meu beijo de amor, tonto, ia e vinha,
como um pássaro no ar, leve, impaciente.

Primeiro, em tua boca me detinha,
depois, ia descendo, em lava ardente;
e ao descobri-te, inteira, nuasinha,
de beijos te cobria, inteiramente:

- os seios, os quadris, o ventre, tudo...
Estranha lava de um vulcão sem chamas,
de um estranho vulcão, violento e mudo...

Mas, acordo... Os lençóis frios, desertos...
Ó meu amor, se é certo que tu me amas,
vem, que eu quero sonhar de olhos abertos!


 J.G.  de Araujo Jorge