Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



10 de dez de 2009

Trisha Lambi


Eis como eu  gostaria de amar



Há certas leituras que nos fazem tomar consciência de que nada vivemos, nada sentimos, nenhuma experiência temos.

Só agora me dou conta de como as minhas experiências eram pura e simplesmente mecânicas, anatômicas.

Os sexos tocavam-se, confundiam-se, sem provocar qualquer faísca, qualquer sensação, qualquer perturbação.

Como vir a conhecer tudo isto? Como poderei eu começar a sentir - a sentir mesmo?

Gostava de ficar tão apaixonada que só de ver ao longe o ser amado me sentisse abalada, trespassada, sem forças, ficasse a tremer e a derreter-me toda entre as pernas.

Eis como eu gostaria de amar, tanto... que só de pensar no objeto amado...
atingisse o orgasmo.


Anais Nin

Anaïs Nin do livro Delta de Vénus