Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa



21 de mar de 2010

Richard Young



CANTIGA DE SÁBADO


Quero escrever um poema
leve no dorso dourado
que fique em versos perenes
meu veneno tatuado

Um veneno de paixão
de olor forte mas sereno
e que se espalhe até na alma
tomando todo o terreno

Começo pelos teus lábios
pastores dos teus mistérios
sopro suave na brasa
do beijo que tanto quero

Do meio destas colinas
ao regaço mais molhado
me afogo e te bebo toda
na concha do teu relvado

Sentir o sal do banquete
o mormaço do teu ventre
teu cheiro que me alucina
assanha a senha serpente

Este sábado é de bênçãos
bacante regando a cor
de vinho tinto rascante
das uvas do nosso amor

Foram 7 os meus desejos
7 vezes consagrados
que a vida só vale a pena
levada nos seus pecados


Anibal Beça